Por quais motivações fazermos a Obra de Deus aqui na Terra ?

  • 07/04/2020
  • 0 Comentário(s)

Por quais motivações fazermos a Obra de Deus aqui na Terra ?

Por quais motivações fazemos a obra de Deus aqui na terra? 

Mateus 21.33-46.

Iniciaremos a nossa meditação bíblica num texto que está escrito no Evangelho Segundo Escreveu o evangelista Mateus. Esta narrativa contada por Jesus por meio de uma parábola, Jesus estava ensinando como se comportam os homens, os servos, em relação a mordomia. As motivações que levaram os homens a tomarem atitudes de ganância, ambição e até a execução de planos cruéis para concretizar seus projetos ambiciosos, que seria, tomar, assaltar, todo empreendimento feito pelo pai de família. Vamos observar o desfecho deste texto, quando o pai de família, o Senhor da Vinha vier o que será que ele fará a esses trabalhadores? Certamente, eles receberam o que for medido pela reta justiça do Senhor da vinha.
Jesus contou está parábola para esclarecer aos doutores, as lideranças religiosas do judaísmo, que o pai de família é o Senhor da vinha e que o Senhor da vinha é Deus, o todo poderoso. Este pai de família fez um investimento todo seu, preparou toda logística para o funcionamento perfeito e arrendou esta vinha aos trabalhadores e ausentou para longe, fixando no contrato de arrendamento que os trabalhadores pagariam o arrendamento combinado.
1º) A vinha foi arrendada aos trabalhadores, os Judeus – A história do povo Judeu ou Hebreu, iniciou com a chamada de Abraão e sua descendência, Isaque e Jacó e deste último veio seus 12 filhos que formaram as doze tribos, e, que hoje são toda nação de Israel é vindo destas raízes. A vinha que Deus plantou é este mesmo povo, uma iniciativa unicamente de Deus e entregou este povo nas mãos dos (doutores, sacerdotes, autoridades, líderes, obreiros, pastores) para cuidar, lavrar, crescer, prosperar e dar ao Pai de Família, ao Senhor da Vinha o resultado do arrendamento conforme cláusulas no contrato.

a) Os trabalhadores arrendaram a vinha do Pai de família – O contrato de arrendamento foi feito e assinado por ambas as partes. O pai de família entregou as chaves de acesso a vinha, seus aposentos, suas particularidades e também o ESTATUTO DE FUNCIONAMENTO DA VINHA. Após toda celebração contratual o Pai de Família viajou para bem longe, e os trabalhadores iniciaram suas atividades e tudo começou a acontecer dentro da programação, os resultados foram positivos. Os tempos dos frutos vieram, houve abundância.
b) O Pai de família envia seus servos a receber os seus frutos – Chegando o período combinado, o Pai de Família envia-lhes um servo para buscar os frutos que caberiam como cláusulas contratuais. Os trabalhadores, ou arrendatários não receberam bem vindo aquele servo e apoderam-se dele o feriu e os outros, espancaram, outros foram mortos e outros apedrejados. Aqueles trabalhadores movidos pela ganância, ambição se tornaram maus, perversos, inimigos, descumpridores de tratados, contratos, acordos.
c) O Pai de família então resolver enviar o seu próprio filho, a Ele respeitarão – O Pai de Família sabendo que os trabalhadores haviam quebrado o contrato de arrendamento, e matado os seus servos, tomou a decisão de enviar o seu único filho, dizendo: Mateus 21.37, TERÃO RESPEITO A MEU FILHO. Os trabalhadores vendo a chegada do filho do Senhor da vinha, se reuniram e disseram: O filho do Senhor da vinha chegou! Este é o herdeiro, vamos matá-lo e assim apossaremos da herança.

2º) Os trabalhadores maus – Quando o Senhor arrendou a sua vinha aos trabalhadores, eles se mostraram boas pessoas, servos para servir, se comportaram como trabalhadores responsáveis e cumpridores de seus deveres, honestos, mas, no decorrer do negócio, foram mudando de propósitos e começaram arquitetar planos de apossar totalmente da vinha, que a princípio, todo custo: de implantação, investimento, logística fora feito pelo Senhor da vinha. Os trabalhadores teriam a sua parte no trabalho que produziriam, mais, o Senhor da Vinha viria receber os seus frutos.

a) Os bons trabalhadores se tornam em homens maus – Com a chegada do Filho do Senhor da Vinha, estes homens resolveram matar o filho, o herdeiro, e ficar com toda Vinha, sem devolver nenhum fruto ao seu legítimo proprietário. Levantaram, arrojaram-se contra o filho e o mataram de maneira cruel e dolorosa. Cadê o respeito, consideração, ao filho do Senhor da Vinha? Quando a maldade entra no coração e na mente do homem ele fica insensível, cheio de razão própria e começa alegar que tudo ali foi ele ou eles que fizeram, por isso estão no direito de apossar de toda VINHA. Maus!
b) O diabo, satanás tem estas premissas, foi ele que quis apossar do comando e senhorio de toda obra da criação. O diabo não fez coisa alguma, pelo contrário, ele foi obra do próprio criador que: Planejou a criação de lúcifer, investiu em sua estrutura de ser angelical, o revestiu de beleza e lhe deu posição de destaque no seu reino. Deus queria deste ser angelical, o seu fruto. Ele de posse precária de tudo que Deus lhe havia entregado, se fez vítima e tentou apossar de toda herança da obra da criação. Não deu certo, em primeira instância foi derribado, e o processo continua e em segunda instância ele será condenado, não só pelos crimes cometidos nos céus, como também, os cometidos na terra. Lançado no Lago de Fogo e Enxofre, lá será seu destino final, e com ele: Todos arrogantes, soberbos, rebeldes, ambiciosos, maus trabalhadores, gananciosos, etc.
c) Os trabalhadores deveria ter comportado como mordomos do Senhor da Vinha – Mordomia deveria ter sido a atitude daqueles arrendatários. Mordomo vem do latim, (domus) que significa administrador ou governante da grande casa, aquele que cuida com zelo de todos bens que lhe foram confiados. Estes trabalhadores que arrendaram a vinha, era de inteira confiança do proprietário, eles eram considerados com bons servos. Mordomia é um PRINCÍPIO BÍBLICO, tem origem, causa, uma verdade absoluta. Aqueles trabalhadores não agiram como mordomos, pelo contrário, queria assaltar, possuir a vinha como herança; toda vinha seria deles, todos frutos deles. Deixaria de ser mordomos, servos para ser senhores da vinha!

3º) Quando o Senhor da Vinha chegar, o que fará a aqueles trabalhadores? As Sagradas Escrituras nos adverte a respeito da prestação de contas que cada pessoa de modo pessoal e individual terão de encarar num dia determinado pelo Senhor, Pai de família o acerto de conta da Mordomia que nos foram confiados. O pai de família começará a tratar com os trabalhadores maus:

a) Dará afrontosa morte aos maus – Todos nós sabemos o fio da história dos 04 principais reinos registrados no livro do profeta Daniel: Babilônia, Persa, Grego e Império Romano. No Império Babilônico a nação de Judá foi levada cativa e no império Persa voltaram muitas lideranças dos judeus para restaurar o país que estava em caos. No império grego que se dividiu em 04 reinos, os judeus tiveram muitas turbulências, guerras com outros povos, e guerras internas religiosas. No império Romano, Jesus nasceu em Belém, cresceu em Nazaré, desenvolveu seu ministério em Cafarnaum, e não foi recebido pela a nação de Israel como seu Messias, João 1.11 pelo contrário, foi peça chave para levar Jesus perante a autoridade romana e pedir a sua crucificação. Com a insubmissão, resistência dos judeus, oposição ao Império Romano, eles foram desbaratados, mortos, esfolados e dispersos completamente. Cumprindo a primeira punição do Pai de Família, o Senhor da vinha tratando com os trabalhadores maus. Os sacerdotes, os anciãos, as autoridades, os profetas perderam a VINHA! Foi arrancada a força de suas mãos e entregue a outros arrendatários.
b) E arrendará a Vinha a outros lavradores, que a seu tempo lhe deem os frutos – A vinha que estávamos falando é a nação de Israel, está vinha o próprio Deus está cuidando dela nos dias atuais. A vinha que iremos falar agora é a Igreja que nasceu no sacrifício vicário de Cristo, conforme João 1.12,13, todos os que creem são chamados Filhos de Deus, os que creem em seu Nome, que não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus. Aqui se trata da Vinha chamada IGREJA, obra de Deus, sem interferência, desejo, humano, mas, unicamente de Deus. A IGREJA É A VINHA DE DEUS, que foi arrendada a outros trabalhadores que o texto diz: Arrendará a vinha a outros lavradores, que a seu tempo lhe deem os frutos.
c) A quem foi arrendada a Vinha de Deus? Aos trabalhadores conforme Efésios, 4.11-16. Os trabalhadores foram chamados e vocacionados conforme Ele quis, Marcos 3.3-18, os apóstolos foram os primeiros e depois os outros: Profetas, evangelistas, pastores e doutores. Com o propósito de edificar o corpo de Cristo, para o crescimento e produtividade de frutos. Estes lavradores sabem que estão trabalhando como mordomos, que precisam dar ao proprietário da VINHA os frutos que consta no contrato de nossa chamada, João 15.16, somos escolhidos e nomeados para dar frutos que permaneçam. Precisamos atentar para a cláusula pétrea que está no verso 4: Estai em mim, e eu, em vós; como a varia de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Se cumprirmos com esta exigência do Senhor da Vinha não teremos cometeremos o erro dos primeiros trabalhadores.
d) Trabalhadores da Vinha do Senhor, trabalhadores da Igreja do Senhor – Mas uma vez é necessária uma reflexão em profundidade: 1º) A Vinha não é propriedade nossa, somos mordomos do dono, e Ele é que cuida de nós com justiça e ética; 2º) O estatuto do Senhor da Vinha já está definido, como os trabalhadores devem prestar o seu trabalho, sem alterar ou omitir o que está escrito: AS SAGRADAS ESCRITURAS, Apocalipse 22. 18,19. Os trabalhadores não poderão trabalhar só com boa intenção, boas motivações, inovar estratégias e humanizar procedimentos para resultados midiáticos e até mesmo frequêncial, não serão aceitos, todo caminho a percorrer no trabalho da Vinha será considerado o trabalho fundamentado na Palavra inarredável do Pai de Família.
e) O pai de Família está chegando e virá buscar os frutos – Como estamos nós? Quais os frutos preparamos para lhe entregar como resposta de nossa chamada em forma de arrendamento da Vinha? Ou estamos cuidando da Vinha pra nós, nosso benefício, nossa honra, privilégio, e não temos a menor intenção de entregar a Vinha ao seu legítimo proprietário? Vamos agir como os primeiros trabalhadores maus? Ou aprendemos a lição e vamos fazer corretamente o que nos foi mandado? E ainda mais Lucas 17.10, para alcançar os elogios do Pai de Família, Mateus 25.21. Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei, entra no gozo do teu Senhor.

4º) Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta por cabeça do ângulo. Ao finalizar e visualizar o texto sagrado, não deixa dúvida alguma, que esta tarefa é muito séria, porque o dono da Vinha não tratará os trabalhadores com moleza.

a) Os judeus rejeitaram a Cristo e ficaram de fora, foram cortados e enxertados o zambujeiro bravo. O nosso fruto de origem é bravo, só em Cristo, temos oportunidade de frutificar o fruto novo e bom, 2º Coríntios 5.17.
b) Neste último arrendamento ele não mandará ninguém buscar os frutos, Ele mesmo virá e quem resistir a cumprir o contrato veja o resultado no verso 44: E, quem cair sobre esta Pedra despedaçar-se-á; e aquele sobre quem ela cair ficará reduzido a pó. Os fariseus e os sacerdotes viram que está Palavra era com eles e resolveram prendê-lo, temeram o povo e desistiram.
c) Esta mesmas Palavras de Jesus é para os segundos lavradores. É bom cada trabalhador ser fiel em tudo. Se o pai de Família não poupou os ramos naturais, poupará o zambujeiro? Romanos 11.21,22. Vamos aproveitar nossa oportunidade de frutificar e permanecer na Oliveira Verdadeira.

Conclusão: Esta parábola nos adverte como os primeiros lavradores foram disciplinados pelo Pai da família e ainda estão sofrendo pelo mau comportamento assumido no arrendamento da VINHA, e, mostrando a sua bondade com os segundos arrendatários, porém, advertindo que, se os primeiros, os judeus sendo chamados de ramos naturais foram cortados, a severidade de Deus não permitirá que os segundos trabalhadores não cumpram com as regras ditas, caso faça como os primeiros, eles serão também cortados de maneira incontinente.

Pr. Bertiê Magalhães
Presidente

0 Comentários


Deixe seu comentário


Aplicativos


Locutor no Ar

Rádio Selvati

Celebrai

11:01 - 12:00

Top 5

top1
1. Midian Lima

Não Pare

top2
2. Luanna e Francisco

Deus Cuida

top3
3. Gabriela Rocha

Lugar Secreto

top4
4. Sarah Farias

Sobrevivi

top5
5. Anderson Freire

Raridade

Anunciantes